Huun-Huur-Tu

29 Set 2020

Huun-Huur-Tu

(Tuva)

CICLO MUNDOS

©Jaro Medien

Sinopse

Datas e Horários

29 Set
Ter 21:00

Sala e Preços

Sala Carmen Dolores
10€
Informação

Classificação

M/6

Huun-Huur-Tu é um dos grupos mais reconhecidos das músicas do mundo, pioneiros na divulgação do canto diafónico khöömei. Das montanhas Altai do centro-sul da Sibéria a colaborações com Frank Zappa ou Ry Cooder, transportam consigo os sons das pastagens de Tuva. A sua música é tão calorosamente humana como qualquer música folk. As canções falam do amor, das planícies orientais, mas também dos cavalos e dos rios. Cantos guturais das estepes com diversas matizes estilizadas que reproduzem os sons das aves e os ruídos das águas. O colectivo formado em 1992 pelos músicos Kaigal-ool Khovalyg, Sayan Bapa, Radik Tolouche (Tiuliush) e Alexei Saryglar é um case-study da world music que acumula a gravação do repertório tradicional com colaborações como o Kronos Quartet, entre outros. Exímios no canto gutural e nos instrumentos tradicionais como o igil, khomuz (harpa tuvana) e o dünggür (tambor xamânico).

 

CICLO MUNDOS

Desde 2016, no âmbito de uma parceria global com o Festival Músicas do Mundo de Sines, que a Fundação INATEL promove, em Lisboa, no Teatro da Trindade INATEL a iniciativa musical Ciclo Mundos, programa anual que abre caminho e dá espaço à música que se faz no mundo, protagonizando uma atitude que reflete e representa os valores e os grandes propósitos que enquadram a atividade da Fundação.
O Ciclo Mundos, que vai para a sua 5ª edição, pretende gerar sinergias e oferecer ao público uma proposta musical intercultural, intergeracional e universalista, com fortes raízes nas culturas populares, numa Lisboa multicultural, posicionando-se como um espaço plural que acolhe e celebra o legado intangível da Humanidade, reafirmando e projetando o seu respeito pelas tradições culturais.
Neste contexto, em 2020, no palco do Teatro da Trindade INATEL, sala icónica do espetáculo e do teatro em Lisboa, serão apresentados 8 concertos com músicos de 8 diferentes nacionalidades, culturas e géneros musicais.
Reafirmamos que habitamos um mundo global, onde a transversalidade se impõe e onde a música é um fenómeno de penetração cultural. Consegue-se assim um contacto intercultural favorável a uma melhor compreensão das tradições e a uma apetência social superior, no que respeita à sua reinvenção e à sua inovação. E sempre respeitando os grandes princípios civilizacionais comuns a todas as culturas.
Esta Lisboa que sempre teve uma histórica vocação enquanto ponto de encontro de culturas, portanto um lugar de diversidade multicultural, corresponderá nos dias de hoje ao desafio da preservação e estímulo de uma cultura de paz e de aceitação do outro. Não será demais sublinhar que, a cada dia que passa, a Fundação INATEL contribui, mais e mais, para o crescimento e desenvolvimento de um bem-estar individual que é vivenciado nos valores e objetivos que a definem, no quadro de uma economia social que caminha, de mãos dadas, com a diversidade cultural.
É assim que cumpre a sua missão, qual seja a de estar presente e ativa num mundo global e cultural que começa aqui, ao seu lado, na sua, na nossa comunidade, neste lugar geométrico de encontro que é o Ciclo Mundos.

Ficha artística

Voz Kaigal-ool Khovalyg
Voz e Harpa judaica Radik Tyulyush
Voz Guitarra Sayan Bapa
Voz e Bateria Shaman Alexei Saryglar