PUULUUP

08 Dez 2020

PUULUUP

CICLO MUNDOS

CONCERTO CANCELADO

©Taavi Arus

Sinopse

Datas e Horários

8 Dez
Ter 20:30

Sala e Preços

Sala Carmen Dolores
10€
Informação

Classificação

M/6

CONCERTO CANCELADO

 

Face às mais recentes diretrizes de combate à pandemia COVID-19, que decretam a limitação de circulação nos próximos dois fins de semana, o concerto  da banda “PUULUUP” foi cancelado.

Os espectadores podem pedir o reembolso do valor dos bilhetes adquiridos até ao dia 9 de dezembro.

Agradecemos a compreensão.

 

 

_____________________

 

Uma pitada de surrealismo, folclore moderno e revivalismo do talharpa! A tradição e o novo unem-se  na obra de Puuluup. Este duo toca talharpa – uma lira de quatro cordas e arco, popular no norte da Europa desde o início da Idade Média e tocado nas ilhas do arquipélago ocidental da Estónia até o início do século XX.

 

Ramo Teder e Marko Veisson, o duo Puuluup, dirigem as vibrações das cordas de crina de cavalo do talharpa através de efeitos sonoros e loop, combinando os suspiros suaves do talharpa com ecos, batidas, rangidos e estalos amplificados eletronicamente, mas mantendo o som natural do instrumento. Criam um diálogo entre o som natural e familiar e as suas variações eletrónicas. 

 

Brincam com a música como brincam com as palavras, às vezes criando a sua própria linguagem. Comoafirma a banda: “Inspiramo-nos nas noites de Vormsi, nos elétricos em novembro, nos viciados em amor, nos criminosos de Odessa e em Antonio Vivaldi”.

 

CICLO MUNDOS

Desde 2016, no âmbito de uma parceria global com o Festival Músicas do Mundo de Sines, que a Fundação INATEL promove, em Lisboa, no Teatro da Trindade INATEL, a iniciativa musical Ciclo Mundos – programa anual que abre caminho e dá espaço à música que se faz no mundo, protagonizando uma atitude que reflete e representa os valores e os grandes propósitos que enquadram a atividade da Fundação.
O Ciclo Mundos, que vai para a sua 5ª edição, pretende gerar sinergias e oferecer ao público uma proposta musical intercultural, intergeracional e universalista, com fortes raízes nas culturas populares, numa Lisboa multicultural, posicionando-se como um espaço plural que acolhe e celebra o legado intangível da Humanidade, reafirmando e projetando o seu respeito pelas tradições culturais.

Ficha artística

Apoio GALP